sábado, julho 20, 2024
HomeUncategorizedFriburgo de novo no Pireu - e, no entanto, tudo é diferente

Friburgo de novo no Pireu – e, no entanto, tudo é diferente

Passou pouco menos de um ano. O SC Freiburg venceu o Olympiakos Piraeus por 3-0 e passou a fase de grupos da Liga Europa. Agora é a vez do reencontro – em circunstâncias incomparavelmente mais difíceis.

Um empate não é um concerto de desejos – caso contrário, não seria um empate. Uma frase que poderia muito bem ter vindo de Christian Streich. Mas não é o caso. No entanto, o treinador do Freiburg tem um desejo em relação às viagens europeias da sua equipa. “Se possível, não ir ao Pireu”, disse ele antes do sorteio no início de setembro. Não por medo dos gregos, mas por causa do seu interesse em coisas novas. Na época passada, o SC já tinha sido visitado no Estádio Karaiskakis. Agora que o sorteio não pode mais ser alterado, o Freiburg pode, pelo menos, se valer das boas lembranças. Há pouco menos de um ano, os alemães venceram os gregos por 3 a 0.

Na noite desta quinta-feira (21h), Streich e o Sport-Club serão novamente desafiados na cidade portuária que faz fronteira com Atenas. “O destino quis que voltássemos a jogar no Pireu”, disse Streich na véspera do jogo, deixando claro que quase tudo é diferente, exceto o local e o nome do adversário. “Esta equipa do Olympiakos já não tem nada a ver com a equipa que vencemos aqui. No ano passado, jogámos com eles na melhor altura possível, pois tinham grandes problemas desportivos.”

Olympiakos com quatro treinadores num ano – como o SC desde 1991

N”Esperamos um ambiente quente “

O único som que se ouve no Pireu esta manhã é o do trânsito intenso. O caos nas ruas é de uma magnitude particular, mesmo para Atenas, devido a uma greve no metro. Será preciso esperar até à noite para que a atmosfera eletrizante que rodeia o clube tradicional tome conta da cidade de 160.000 habitantes, vizinha da metrópole de Atenas, com os seus milhões de habitantes. “Estamos à espera de um ambiente quente. No ano passado foi a mesma coisa, foi impressionante a atmosfera antes do jogo”, enfatiza Maximilian Eggestein, que, no entanto, gostaria de se tornar um estraga-prazeres novamente. “Na altura, contribuímos para que o ambiente rapidamente não fosse tão bom. Esperamos que possamos seguir uma direção semelhante novamente.”

Fora do campo e ao redor do estádio, as coisas permaneceram relativamente calmas há um ano – o que, infelizmente, não é a ordem do dia no Pireu. Também nesta quinta-feira, os cerca de 700 adeptos do Friburgo que viajam com eles serão levados num comboio de autocarros do seu ponto de encontro no histórico Estádio Panatenaico em direção ao Pireu e praticamente despejados no bloco dos visitantes.

A bola começará a rolar a partir das 21h00 (hora alemã), 22h00 (hora local). “Não temos muitos jogadores no plantel que tenham jogado constantemente na Europa todos os anos. Por isso, ninguém precisa de nos motivar mais ou de nos dar um discurso. Estamos todos ansiosos pelos seis jogos e esperamos acrescentar mais alguns no novo ano”, explicou Eggestein.

Sem Marcelo, sem James, mas agora uma equipa

Os grandes nomes, como os ex-jogadores do Real Marcelo e James Rodriguez, já deixaram o tradicional clube grego durante a caótica pré-temporada. De qualquer forma, Streich já identificou a diferença decisiva no coletivo. “Eles têm muitos bons jogadores, mas agora também têm uma organização muito boa, são muito disciplinados, trabalham muito duro com a bola. Eles correm, trabalham, fazem tudo”, adverte o jogador de 58 anos.

Um jogador que Streich gostaria de ter treinado em Breisgau: o capitão e 56 vezes internacional Konstantinos Fortounis. Ele jogou no 1 FC Kaiserslautern de 2011 a 2014. No entanto, ele e a equipa do Palatinado não ficaram muito satisfeitos com ele nos 77 jogos competitivos. Streich recorda, no entanto, os aspectos positivos. “Ele é um jogador muito interessante, já o era na altura. Analisámo-lo, tínhamos de ver quais eram as nossas opções financeiras na altura. A sua qualidade técnica e a sua mobilidade chamaram a nossa atenção, mas também a de outros clubes da Bundesliga”, conta o treinador. No entanto, Fortounis foi para o Pireu na altura – certamente não foi uma má decisão do ponto de vista atual.

Foco na estabilidade defensiva

Uma vez o grego esteve em campo como Red Devil contra o Freiburg. Em 24 de março de 2012, o SC venceu por 2-0 no Dreisamstadion – com um defesa-central de 18 anos chamado Matthias Ginter no onze. Se o zero se mantiver esta noite, o primeiro passo terá sido dado pelo Sport-Club. Pois não é só no Pireu que os presságios são diferentes antes do jogo. Há um ano, a equipa de Streich estava em segundo lugar na Bundesliga, com 13 pontos em seis jogos. Agora, tem um início misto, com duas derrotas com muitos golos contra o Estugarda (0:5) e o Dortmund (2:4) na bagagem. Mas se há uma equipa da Bundesliga que tem demonstrado nos últimos anos que não se deixa abater por contratempos, essa equipa é o SC Freiburg.

RELATED ARTICLES

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Most Popular

Recent Comments